Hulk | Banner

Autor(es) Brian AZZARELLO, argumento; Richard CORBEN, desenho

Editora Devir

Ano de Publicação 2004

Número de Páginas 96 p.

Impressão Quatro Cores

Faixa Etária Recomendável A partir dos 14 anos

Comentário Graças à Devir, está finalmente disponível em Portugal, numa edição que faz juz ao trabalho único do artista, uma história desenhada por Richard Corben, um dos grandes nomes da BD americana que, com a excepção de duas histórias curtas, publicadas há mais de dez anos, permanecia praticamente desconhecido dos leitores portugueses.
Provando que, tal como a tradição, os comics de super-heróis já não são o que eram, a estreia de Corben nas livrarias nacionais faz-se através de “Hulk: Banner”, uma aventura do Hulk escrita por Brian Azzarello que examina de forma inovadora a dimensão trágica da ligação entre Bruce Banner e o Gigante Verde, ao mesmo tempo que mostra a forma como o governo americano consegue apagar o rasto de destruição deixado pelo Hulk. (…)
Mas deixemos que seja o próprio Azzarello a contar como tudo se passou:
“Axel (Alonso) tinha acabado de chegar à Marvel e tivemos uma conversa sobre as personagens em que ele queria mexer e sobre quais seriam os artistas certos para cada personagem. Foi então que ele disse: “Já imaginaste o Richard Corben a desenhar o Hulk ?”. Disse-lhe logo ali que escrevia a história se ele convencesse o Richard (Corben) a desenhá-la! Não estava muito familiarizado com a personagem, para além da série televisiva dos anos 70, por isso pedi ao Axel que me mandasse alguns livros do Hulk e comecei a ler. Uma coisa que me fez confusão é não haver mortos provocados pela tremenda destruição que o Hulk causa por onde passa. Quando ele destrói um prédio, o que é que acontece às pessoas que lá moravam? É um aspecto que ainda não tinha sido abordado na BD e que eu achei que podia dar uma boa história.”
(…) Nascido em 1940 em Kansas City, onde estudou no Kansas City Art Institute, Richard Corben publicou a sua primeira história em 1968 no fanzine “Voice of Comicdom”, antes de criar “Fantagor”, um comic underground inteiramente escrito e desenhado por si. Durante a década de 70, Corben desenhou com regularidade para as revistas “Eerie”, “Creepy” e “Vampirella”, da editora Warren, ilustrando mais de 40 histórias, algumas delas escritas por Bruce Jones. Único autor americano presente no número inaugural da mítica revista “Metal Hurlant”, com a série “Den”, Corben tornou-se uma verdadeira estrela na Europa, para onde passou a trabalhar directamente, graças ao editor espanhol Josep Toutain, que publicou as suas obras completas, incluindo naturalmente os melhores trabalhos de Corben, como a série “Den” e as suas adaptações de contos de Robert E. Howard, Ray Bradbury, Edgar Alan Poe e H. P. Lovecraft.
Algo afastado da ribalta nas últimas décadas, em que publicou quase exclusivamente na sua editora, Fantagor Press, e se dedicou principalmente à ilustração, Corben regressou em grande graças a Axel Alonso, cujo talento para recuperar autores caídos no esquecimento, tem uma importante quota-parte na actual renovação e alargar de horizontes dos comics da DC e Marvel.
Resta esperar (sonhar não custa…) que o eventual sucesso de “Banner” leve algum editor mais temerário a lançar em Portugal alguns dos trabalhos mais antigos de Corben como a série “Den”, ou o magnífico “New Tales Of the Arabian Nights”. © João Miguel Lameiras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: